Tireoide: a glândula produtora do combustível do nosso organismo

Tireoide: a glândula produtora do combustível do nosso organismo

A tireoide é uma glândula localizada na região anterior do pescoço, possui a forma de borboleta, pequenas dimensões (mede em torno de 5×5 cm), porém é de extrema importância para a nossa saúde. Seu bom funcionamento garante o equilíbrio e a harmonia do nosso organismo. Ela produz dois hormônios, o T3 ( triiodotironina) e o T4 ( tiroxina) que atuam praticamente em todos os órgãos do nosso corpo: coração, cérebro, rins, fígado, intestino, ovários, etc. Esses hormônios são o nosso ¨combustível¨ e quando a glândula não está funcionando adequadamente pode produzi-los em excesso (cuja patologia é denominada Hipertireoidismo) ou em quantidade insuficiente (Hipotireoidismo).

No hipotireoidismo, devido à falta dos hormônios ou do combustível, o organismo desacelera e os sintomas aparecem: o coração bate mais devagar, aumenta o peso, o intestino prende (constipação), dores musculares e nas articulações, cansaço excessivo, sonolência, desânimo e até depressão, queda de cabelo, pele seca, a menstruação fica irregular e algumas mulheres apresentam dificuldade para engravidar porque deixam de ovular, dentre outros sinais e sintomas.

Por outro lado, a produção excessiva dos hormônios pela tireoide (hipertireoidismo) acelera o nosso organismo e os sintomas principais são: coração disparado, ansiedade, impaciência, irritabilidade, emagrecimento, dificuldade para dormir, diarreia, calor, olhos arregalados, etc..

Tanto no hipotireoidismo quanto no hipertireoidismo, a glândula tireoide pode aumentar de tamanho e esse aumento é denominado bócio. A quantidade de hormônio produzida pela tireoide é controlada pela hipófise, uma glândula localizada no cérebro. A hipófise produz o TSH ou hormônio estimulador da tireoide.

Além do hipertireoidismo e do hipotireoidismo, existem outras doenças que acometem a tireoide como por exemplo: inflamações (tireoidites), tumores, nódulos que podem levar ou não ao surgimento de sintomas. As doenças da tireoide podem acometer desde recém-nascidos até idosos. O teste do Pezinho serve para diagnosticar o hipotireoidismo congênito, daí a importância de sua realização em todos os recém-nascidos.

Várias patologias da tireoide se manifestam sob a forma de nódulos, e estes são mais frequentes em mulheres. Os nódulos podem ser descobertos pela própria pessoa ao perceber uma protuberância no pescoço, geralmente indolor. Para o diagnóstico das doenças da tireoide são realizados alguns exames após o exame físico (quando o médico poderá perceber um nódulo) tais como: exames de sangue (para medir o nível dos hormônios e detectar anticorpos contra a tireoide), ultrassonografia (avalia o tamanho dos nódulos e suas características, além de servir como guia para as punções) e cintilografia (avalia o funcionamento dos nódulos, ou seja, se são hiperfuncionantes-quentes ou hipofuncionantes-frios). Felizmente a maioria nos nódulos de tireoide é benigna, sendo assim, não apresenta riscos para o indivíduo. Entretanto é essencial excluir a possibilidade de malignidade (tumores); um em cada 20 nódulos é maligno.

Como o bom funcionamento da tireoide está diretamente relacionado ao nosso bem estar, é essencial o acompanhamento médico periódico, seja com o clínico, endocrinologista ou ginecologista, para a dosagem dos hormônios tireoidianos e detecção precoce e tratamento de eventuais anormalidades.


VOLTAR PARA Artigos científicos | OUTRAS PUBLICAÇÕES
FONTE: INAL